20 de outubro de 2017

Bayer

Ela drama.
Decola à boca a aspirina
Que termina com seu sufoco.
Vermelha desgosto ferroso.
Derrama uma gota de soro.
O efeito não demora.
Entra.
Sai.
E para.

9 de outubro de 2017

Idem

    Eu não sou boa pessoa. Seja por maioria de votos, ou sob minhas próprias lentes, posso, seguramente, declarar que não pontuo a nota mínima na escala que mede esse tipo de coisa. Mas que esse reconhecimento não seja levianamente tomado. Vem a duras penas e não é, necessariamente, algo de que tenho orgulho, salvo pelo fato de, talvez, eu ser o melhor dos piores. Há, por fim, algo em que não sou medíocre. Em minha avidez por destacar-me da massa ordinária, a almejada euforia de estar entre os santos foi suplantada, sem esforço, por uma soturna, mas exclusiva, posição na porta do inferno. O currículo era ideal para fazer o cara crachá.
    Mas, antes de ser asfixiado pelos urros de desaprovação, vale partilhar a lucidez rara entre quem não desce do salto, mas não incomum entre nós ímpios: Todo vício é escuso enquanto útil e toda virtude é nula quando seletiva.

22 de fevereiro de 2017

Mel

Talvez eu deva agradecer por ter sido rápido.  O tempo estava cáustico, quase árido, desde o fim de Janeiro, sinônimo de rinite, para mim. Bem pior que a alergia que eu tinha ao seu pêlo. Ao menos sua casaca preto e branca era bonita e boa de esfregar. O tempo seco faz-me espirrar sem dar coisa alguma em troca.  Mas você ficou doente. Talvez eu deva agradecer por ter sido rápido. Se o seu então mirrado corpinho rejeitava a comida que sempre aparentou ser seu maior prazer,  então era hora assinada. Sua dor era quase palpável. De manhã eu peguei-te para levar à sala, porque você não conseguia mais sozinho e despedi-me, com a tristeza de quem finalmente resolveu o enigma do olho de gato. Eu devo agradecer por ter sido rápido. Foram semanas secas demais. Quando você foi, choveu.

21 de fevereiro de 2017

I - To no avail

It was at really early age that I first felt myself, as a human being, to be an awry exemplary within the observable pool. A resilient thought that grew pervasive and later on was encapsulated in a word I yet haven't grasped the real meaning. Terminology is an admirable conceit and pathology naming might be the wittiest of the creative ordeals. I imagine scientists find themselves deprived from sleep before coming up with the most pertinent word to the phenomena they dedicate their lives trying to elucidate. Nothing that should risk having history categorising them as egocentric or narcissistics, like having a syndrome named after oneself, but rather a word that allows their work to stand out. Simple enough, but no less deserving of appraisal. I, like many others, find myself linked to the concept stolen from the topographical description of being below what's around you.
(to be continued)

16 de novembro de 2016

Clarification

It is my sincere opinion that science seeks not to obliterate faith, but rather to enlight us on what it has been, for so long, known as his mysterious ways. If I were to devote myself and my life to this task, I imagine that on my deathbed a religious eminence of some sort, performing the last rites, would inquire me "Are you a God fearing man?", to which I'd reply "No! I'm a God knowing man, and we don't fear that which we know!".